sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz sempre! E que venha 2011...


Não, esta mensagem não é novidade para maioria... Mas é linda. E verdadeira.

FELIZ ANO NOVO. FELIZ VIDA. FELIZ SEMPRE!

Lu

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Saldo de 2010


Neste ano, eu:


1) Hibernei no verão


2) E fui muito à praia no segundo semestre


3) Voltei a ter cachorro depois de anoooosss e amei!!


4) Fiz novos amigos (e que não têm a mesma profissão que eu...)


5) Fui a shows sozinhas e curti muitooo


6) Voltei a fazer exercícios (ok, ok, nem tanto... rs)


7) Viajei mais do que imaginava


8) Estudei e parei de estudar


9) Entendi muitas coisas


10) Me perdoei


11) Me desfiz de coisas que nunca imaginei


12) Vivi emoções que não pensava que viveria


13) Deixei o tempo passar (e não quero mais)


14) Passei a trabalhar mais


15) Perdi alguns quilos nos 45 do segundo tempo


16) Batizei meu sobrinho (e salvei-o, minutos depois, na piscina!! Ufa!)


17) Criei um blog para falar de decoração e não falei quase nada disso... rs


18) Planejei que quero ser mais feliz em 2011


19) Rezei pra que isso aconteça comigo...


20) E também com quem amo!!

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Silêncio que fala alto



"O único silêncio que perturba é aquele que fala. E fala alto. É quando ninguém bate à nossa porta,não há e-mails na caixa de entrada, não há recados na secretária eletrônica, e, mesmo assim, você entende a mensagem"



Martha Medeiros

domingo, 26 de dezembro de 2010

Ok, o Natal passou, mas o sentimento...


Ei, turma!


Ok, ok, fiquei distante e não coloquei uma mensagem de votos de feliz Natal pra todos vocês... Sorry... Mesmo!! Mas tenham certeza de que os votos foram feitos no coração. Aliás, o Natal não é uma data, né? É um sentimento, um estado de espírito...


E eu, meu povo, desejo pra vocês que os presentes sejam abertos a cada amanhecer, presentes como a valorização da vida, do que é simples, do que é bom e dinheiro nenhum paga. Que seja Natal todo dia, com (re)nascimento diário dos ensinamentos que o aniversariante, Jesus, nos deu com tamanha humildade. Paz e boa-vontade pra todos nós!

Feliz Natal.


Lu


PS.: O meu foi uma delícia, com irmão vestido de Papai Noel (mais uma vez!), com sobrinhos que ainda acreditam na fantasia, com família unida e com saúde, sem contar as delícias (ai, minha dieta!) e até musical em igreja.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Adeus, casa dos 60kg


Ei, gente!!


Saudades d'vcs!!


Bem, pode parecer contraditório, mas há duas semanas - e, portanto, pertinho do Natal - resolvi fechar a boca e caminhar na praia todo dia pra perder os quilos que não deveria sequer ter ganhado. Deu certo: já se foram 4kg.
Nesta semana que começa, com a força do meu Pai, volto à casa dos 50 e poucos quilos. Força de vontade é tudo, minha gente! Confesso que fácil, fácil não é. Mas também não chega a ser um sacrifício hercúleo.

Tudo bem que vou perder, junto com os quilos, algumas peças que havia comprado achando que nunca mais sairia do 42. De volta ao 40, agora elas caem! Mas prefiro assim. 2011 começará diferente de alguma maneira... Oba!

Beijos bem docinhos pra vc (porque no beijo póóódeeee!)

Lu

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Sai o círculo, entra a seta


E lá estava eu na praia, nesta nova fase "eu-quero-ser-feliz-sozinha-e-tudo-bem", sentada na areia depois de uma caminhada de biquíni (algo distante num passado próximo).


E eis que, com um gravetinho, começo a desenhar. E o primeiro desenho que vem? O de um círculo. Nada mais sintomático, mais simbólico: até agora, parece que isso que venho fazendo, andando em círculos.


Chega, diz a voz da moça "eu-quer0-ser-feliz-seja-como-for". Nada mais de círculos. Eu quero ir além. E com o mesmo graveto eis que surge outro desenho. O de uma seta, pra cima, e virada para o mar.

sábado, 27 de novembro de 2010

Expectativa


Ela pode nos jogar pra frente, fazer com que corramos atrás do que queremos. Pode nos fazer sonhar, ultrapassar a realidade, fechar os olhos e ir longe sem sair do lugar.


Ela pode nos prender, congelar nossos movimentos, fazer com que não saiamos do lugar. Sua existência nos leva a crer que algo (bom, na maioria das vezes) virá, e isso nos é suficiente.


Ela pode nos fazer tremer, sem que faça frio lá fora. Sacode estruturas que nem sabíamos que tínhamos, tira o sono, suspende sonhos, seca a boca, deixa corpo e alma instáveis.


Prazer (ou não), senhora expectativa.

A vida é escola


"O amor não se sustenta sem a intenção de amar e sem a ação pequena, mas constante, de alegrar o outro com sua presença. Acredito que o amor é uma grandeza que não se sustenta com o tempo. Ou aumenta ou diminui. Qual é, afinal, sua intenção?"

Retirado do site da Revista Vida Simples - Texto: "O amor é racional?", de Eugenio Mussak

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Sozinha sim. E feliz


Tive um relacionamento loooonngoooo. Assim mesmo, cheio de oooos, porque durou mais de 15 anos. E como doeu quando acabou, minha gente! Um amigo, assistindo à minha dor, me falou uma coisa que na hora não consegui processar: "Aproveite, Lu, pra fazer neste momento aquilo com que sempre sonhou. Viaje, namore, gaste sua grana como quiser, saia com amigos. Existe um lado positivo..." Mas eu só pensava na minha dor e não em aproveitar a vida.

Muita água passou debaixo da ponte desde então. Ainda sofri muito muito muito (assim mesmo, cheio de muito) depois disso. Mas agora acho que consigo ver aquilo que meu amigo (com quem nem tenho mais contato, uma pena!) quis me dizer. Não estou mais casada, como sempre quis, mas entendo que a vida nem sempre é como a gente quer. Então só nos resta viver a vida que a gente tem. Lutar contra ela é uma dor inútil. Claro, a solidão bate, a vontade de compartilhar com alguém legal também, mas a vida segue. E como segue.

Um texto da Revista Claudia traz uma ideia legal sobre isso tudo. É sobre felicidade. E vida de solteiro é um dos itens. Reproduzo, mas repito: é da Revista Claudia, gente, mais especificamente da repórter Déborah de Paula Souza! E o site pra conferir na íntegra é o http://www.claudia.com.br/.

"Sozinha e descolada
Anda sem namorado ou sem marido? A vida é assim, e gerações de mulheres antes de nós lutaram para que as relações insatisfatórias pudessem se dissolver, abrindo novas chances para a felicidade. Portanto, depois que uma separação teve o tempo necessário para ser metabolizada, não há por que encarar a solidão como inimiga. Pelo contrário. “Essa é a hora certa para experimentar a alegria da liberdade: viajar, paquerar, conhecer pessoas, fazer cursos”, garante Lana Harari, terapeuta de casal e família, de São Paulo. Essa disposição para o voo-solo cresce à medida que você se vai se entregando a alguns prazeres, como o de passar na livraria e emendar um cinema; perder (ou ganhar?) horas cuidando do jardim ou atracada com seu autor predileto. E, quando um novo pretendente surgir ou os amigos telefonarem, já imaginou quanta coisa interessante você terá para dividir com eles?"

Bjs, bjs

Lu

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Perguntas que não querem calar


1) O que será melhor: a consciência tranquila de ter feito o que achava certo ou o arrependimento de não ter tentado?


2) Vale querer adivinhar o que se passa na cabeça do outro?


3) Desconfiar é proteção ou medo?


4) É possível alguém se converter?


5) É possível a gente se converter?


6) Existe essa história de alma gêmea?


7) Serão os deuses astronautas?


8) Será o benedito?


9) Será que eu sou maluca?


10) Será que eu tenho jeito?

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Emoção, catarse, revolução no coração. Isso é Paul McCartney!


A cada música que começava, eu só conseguia dizer: "Meu Deus!", "Minha Nossa Senhora!".
O coração estava numa montanha-russa; os sentimentos, num liquificador... Realmente é o show de uma vida, um verdadeiro concerto de rock.
Detalhe: vi Paul entrando no estádio, a poucos metros de mim, com metade do corpo do lado de fora do carro, um sorrisão aberto e mãos pra cima, como quem não tem noção do gênio e do ídolo que é. Ele é de verdade, por mais incrível que isso possa parecer!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Cenas das férias











Na ordem: Lagoa do Paraíso (CE), Alcântara (MA), Barreirinhas (MA), Jericoacoara (CE) e Lençóis Maranhenses (MA)




quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Gentileza


"Onde houver gentileza haverá sempre um gesto que surpreenda. O amor se esconde nas coisas pequenas; e a amizade, nas atitudes que se refletem maiores que a presença." Patty Vicensotti

O dia e a noite me trouxeram, ontem, dois belos exemplos de pessoas que trazem em suas almas uma das virtudes que mais admiro: a gentileza. São pessoas com vidas tão diferentes, mas ao mesmo tempo tão parecidas em sua delicadeza de ser, algo realmente digno de admiração.

Eu chegava ao trabalho quando encontrei seu Raimundo (como ele é conhecido). Morador de um bairro simples da minha cidade, é um idealista que descruza os braços e faz acontecer. Recentemente, pintou nas escadarias do morro onde mora com palavras e frases do tipo "Bom dia", "Obrigado"... E a partir daí, da escadaria da gentileza, viu a mudança acontecer. Passou a ser recebido com cumprimentos, sorrisos. Ouviu de algumas pessoas que outras pessoas estavam fazendo questão de falar a primeira palavra gentil ao encontrá-las e que a atitude se multiplicava pelo ambiente, feito dente-de-leão, aquela flor frágil que a um sopro voa longe e leva beleza pra nascer em outro lugar...

O ideal de seu Raimundo foi muito além do campo das ideias. A "teoria" do profeta* realmente se comprovava para ele: Gentileza gera gentileza. Ao encontrá-lo descendo as escadas, cumprimentei-o e recebi em troca um sorriso. Só depois me apresentei - já havíamos nos falado pelo telefone, mas ele não me conhecia pessoalmente. Parabenizei-o sobre a iniciativa da escadaria, falamos sobre o quanto é importante fazer acontecer e não esperar apenas pelo gesto dos outros. E ele deu mais demonstrações de gentileza em suas palavras, pra variar. Não resisti e disse: "Seu Raimundo, já valeu o dia ter encontrado o senhor". Era verdade.

Já passava da hora de eu ir embora, à noite, quando recebi um telefonema da recepção do meu trabalho. "Lu, chegou uma encomenda pra você, mas preciso entregar em mãos", afirmou a colega do outro lado da linha. "Ok, tô descendo", avisei. Em um minuto, estava lá. No caminho, imaginei o que poderia ser. Confesso que até pensei em coisas não tão legais. Mas era legal sim. Seu Raimundo ficaria orgulhoso!

A amiga Lá (Laély, do Sala da La) deixou pra mim umas delícias de pãezinhos que, pelo que conheço, devem ter sido feitos por ela. E Lá nem deveria saber que eu havia feito a última refeição havia muiiiitas horas. Mas o importante mesmo é que ela não alimentou meu corpitcho apenas. O gesto de Lá nutriu, assim como fez seu Raimundo, as minhas esperanças em um mundo em que as pessoas não pensam apenas nelas. Elas pensam no outro, em uma sociedade melhor, mais digna, mais humana.

Infelizmente, não vi Lá pessoalmente ontem (ela apenas deixou um bilhete "fo-fo" junto do pacotinho tão lindinho com os pães). Mas sei que ela sabe que, assim como diz a frase que abre este post, a gentileza traz em seu essência o gesto que surpreende e a amizade está nas atitudes que se refletem maiores que a presença.

Beijos a todas,
Lu
* José Datrino (1917 - 1996), o Profeta Gentileza, viveu boa parte da vida no Rio de Janeiro, onde deixou em pilastras de um viaduto inscrições características. Sua frase mais famosa é "Gentileza gera gentileza".

domingo, 7 de novembro de 2010

A cereja do bolo: Comer, rezar, amar


E eis que meus 30 e poucos dias de férias acabaram (ou acabarão dentro de 30 minutos... rs). Mas fechei com chave de ouro cravejada de diamantes: assisti ao filme "Comer, rezar, amar" nesta noite chuvosa de domingo.

Quando vi que o filme só é exibido em horários em que estarei no trabalho, eu corri, minha gente. Coisa de uma hora antes de começar a sessão lá vai eu, em plena noite de domingo de chegada de Papai Noel ao shopping - e repito, com chuva - para o cinema. Supervaleu a pena!

O filme me tocou, moveu muito. Ri, chorei, me emocionei... Vi refletida na tela muito da minha história (leiam-se momentos, estilo, escolhas, divórcio, fé). "Ouvi" mais uma vez que preciso abrir espaço na minha mente pra novas coisas que vão chegar. Saí de férias com esse espírito e confesso que fechava o período de descanso muito longe dessa vibe.
Com o filme, voltou o mantra: preciso (me) perdoar, (me) amar, (me) deixar amar. Esse parece ser o caminho para ficar mais perto do final da história da escritora Elizabeth Gilbert.

Grande beijo. Tudo de bom nesta semana que começa.

Lu

PS.: Já falei que amo amo amo Julia Roberts?

Eu volteiii...


Ei, gente! Tudo bem?? Quanto tempo!! rs

Depois de 30 e poucos dias de folga - e de férias até da internet -, volto à lida amanhã. Foi tudo muito bom, tudo muito bem, com direito a viagem, muito convívio em família, muitos seriados e passeios no horário em que normalmente estou no trabalho. Enfim, uma delícia só!

Deixo aqui o meu beijão a todas vocês! Vou visitá-las em seus respectivos blogs pra me atualizar, saber das novidades e tal. Ah! E fica também uma foto de um dos lugares maravilhosos que visitei, a Lagoa do Paraíso, perto de Jericoacoara, no Ceará.

Beijos, beijos, beijos

Lu

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Hoje é sexta-feira... e véspera de férias!


É, minha gente! Eu saio de férias neste sábado, dia 2. E saio mesmo: de mala e cuia rumo ao Nordeste do meu Brasil varonil. Vou curtir um pouco de sol e mar, mesmo com meu corpitcho branquérrimo e fora de forma. Mas não tô nem aí (sei...), porque não conheço ninguém mesmo (ahammm...)...


Enfim, povo meu, vou ali e já volto. Não sei se conseguirei levar meu note, mas prometo que assim que vir uma lan house dou aquela paradinha pra ver vocês, falar com vocês...


No mais, torçam por mim. Rezem por mim. Que eu venha renovada, de cabeça nova, de coração novo e, quem sabe, de corpitcho novo (porque quero emagrecer em plenas férias, minha gente!).


Bjs, já com saudades


Lu

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Melhor é Impossível


No filme "Melhor é Impossível", Jack Nicholson é um escritor admirado pelas mulheres. Ao entrar num consultório, a atendente, com olhar de pura admiração, diz algo do tipo: "Você sabe o que se passa aqui (aponta para a cabeça) e aqui (para o coração). Como consegue?". Ele, sem paciência, responde: "Eu penso no homem e retiro toda a razão e responsabilidade". A resposta a deixa-a de boca aberta, literalmente...

Tomara que não seja esse o "modus operandi" de Ivan Martins, colunista da revista Época. Toda semana, acompanho seu trabalho. Seus textos são uma delícia e têm muito dessa sensibilidade adorada pela moça estupefata aí de cima... Ivan sabe o que pensam as mulheres. Não sei se escreve pensando no que nós queremos ouvir, mas suas reflexões são bem pertinentes.

Nesta semana, ele trata de emoções baratas, das comédias românticas. E não é que critique os fillmes, não! Admite até que lhes assiste, que é envolvido por eles... Só destaca que não se pode achar que aquilo ali é mais que cinema, porque vida real é outra coisa. É, Ivan, esse é um conselho que nunca é demais ouvir.

Bjs, bjs a todas,

Lu

PS.: O texto da anterior de Ivan, sobre casados carentes, é muito bom... Vale a pena!

domingo, 26 de setembro de 2010

Deveria vender em farmácia


Alguém não, Simancol! Muiiiiittttaaa gente...

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Voltamos em definitivo


Bem, amigas do Decor e Salteado. Voltamos em definitivo... rs


A internet está de volta pra mim, e o esquema de postagem idem!


E volto falando da primavera... Não é minha estação do ano favorita (prefiro o outono!), mas a moda está linda, né, gente? Tão florida, tão romântica, tão feminina.


Eu adoro o site Tanlup, que reúne várias lojinhas (fofas) virtuais. E alguém já deve ter descoberto isso, porque recebi de uma assessoria de imprensa carioca o release sobre um especial de primavera de lá. Vale a pena conferir (e vale a pena destacar que eu não faço posts comerciais!!).


Bjs, meninas. Uma semana floridíssima pra todas!


Lu

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Pegando carona para dizer... oi!


Pego carona no computador do trabalho só pra dizer que estou com saudades de todas... e sem internet em casa (humpf!). Espero resolver o problema em breve para novos posts e visitas em seus bloguitos deliciosos!!


Enquanto isso, beijos mil. Saudades mesmoooo! E por falar em saudade... rs
"O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo..."


Lu

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Amor à distância


Fofo o filme "Amor à distância": aguinha com açúcar do jeito que eu amo, romââânnntico até dizer "owwwnnnn"... Sem contar as imagens de Nova York (lindas!).

Mas, sinceramente, du-vi-do que exista neste mundo-de-meu-Deus alguém como o personagem que faz o par romântico da Drew Barrymore (que é uma fofa e que, quando o assunto é cinema, só divide meu coração com Julia Roberts).
Sim, na opinião de uma pessoa que hoje tem o amor à distância, um ser como aquele só existe mesmo na ficção. Aliás, só Drew pra dizer, já que ela e Justin Long são namorados na vida real...

Bjs,

Lu
PS.: Ah! Esqueci de dizer: a trilha sonora também é bem... anos 80!

domingo, 12 de setembro de 2010

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Casa criativa e sustentável


Abajur de pilhas, luminária de livros, crochê com sacolas plásticas, pufe de lata de tinta, jardim de lâmpadas... tem de tudo na mostra "Morar mais por menos" realizada no Rio (e em outras cidades brasileiras). E o site MSN tem um vídeo bem legal a respeito. Vale a pena conferir como é possível ter uma casa linda, criativa e ainda ecologicamente correta!


Bjs, bjs


Lu

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Onde está o meu alvo afinal?


Nesses dias de feriado fiz um ligeiro balanço do meu ano (e por consequência, da minha vida). E vi que a maioria das metas que estabeleci para 2010 não foi cumprida.

1) Paz (não, não tenho conseguido...)

2) Mais oração (ô, Pai, tô em dívida pacas!)

3) Corpo em dia (hã?)

4) Mais organização (hã, hã, hã?)

5) Ajuda a sobrinhos (cara, sou uma m. mesmo!)

6) Xingar menos (ai, ai...)

7) Estudar um idioma (precisa falar alguma coisa?)

8) Casa (falta coisa ainda...)

9) Poupança (nada)

10) E mais umas coisas que não dá pra contar por aqui...

Enfim, gente: as únicas coisas em que acho que evolui de fato foram as idas ao salão (mais regulares) e a agenda, que está mais detalhada que em anos anteriores, com anotações importantes. Peloamordosmeussobrinhos, o que vocês fazem em prol dos seus objetivos? Eu preciso tanto de determinação e de visão... Será que farmácia vende?? De todo jeito, esse texto aqui pode ser o início de um caminho.

Bjs, bjs

Lu

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Casa Cor Rio



Muito eu essa decoração: os tijolinhos (ou seria madeira?), a cor do sofá e da parede lateral, as almofadas, a cortina, as luminárias, a cadeirinha... Atual se deixar de ser feminina e romântica. Pena que não dará tempo para eu ver de perto. Detalhes aqui.

Na minha cidade, costumo ir à Casa Cor sempre. No ano passado, infelizmente não deu. Foi numa chácara que já foi tradicional, hoje um prédio histórico apenas. Mas já aconteceu na sede do Exército, na residência oficial do governador, numa mansão que seria demolida, no porto. Desta vez, será numa escola pública.

E namoro à beça cada cômodo, vendo tendências e pensando como poderia aplicar aquilo, de acordo com meu bolso, na minha humilde e amada casa. E ainda paro pra tomar um cafezinho, porque sempre colocam uns espaços bem charmosos nesses eventos. Adorooooo...

Bjs, bjs

Lu

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Mais lojas fofas



Lojas lindas é o que não faltam na internet, gente... Lembram-se de que eu falei que faria mais indicações aos poucos? Eis aqui mais uma. A loja da Fê:

Aliás, no portal Tanlup tem muita coisa cute, inclusive...
http://cuteshop.tanlup.com/

E de crochê, que amooooo:
http://loja.koki.com.br/products

E outra... linda até no nome!
http://www.memoriaafetiva.com.br/

Pra quem quer dar uma bijuteria e faz questão de ser original
http://curadoria.tanlup.com/

E você, conhece outras? Comente...

Bjs, bjs

Lu

sábado, 4 de setembro de 2010

Precisa dizer mais?


Não, não precisa! Mas tô feliz por folgar no feriado, embora tenha 1.837.621 coisas pra fazer... Mas tenho mesmo de fazê-las, não dá pra adiar mais (lembra do post irado de uns dias atrás??).
Bjs, bjs. Lindo feriado pra todos vocês!
Lu
PS.: Pra mim, quatro dias de folga são férias!

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Um prazer por dia, pelo menos!


Não tire conclusões precipitadas pelo título, gente! rs

Eu decidi levar a sério aquela mensagem sobre os segundos que o tempo deposita na nossa conta-vida todos os dias, sobre como aproveitar isso e tal... Tenho tentado, a cada dia, viver um momento feliz. Hoje, foi com a minha mãe, num passeio no shopping, depois de termos "descascado um abacaxi" daqueles! Andamos por lojas, compramos umas lembrancinhas, almoçamos... Mais uma tarde inesquecível com ela. E pra minha vida.

E vocês, o que têm feito?

Bjs, bjs

Lu


PS.: Ao mesmo tempo que tento aproveitar melhor meu dia, liguei a tecla F...... pra milhares de outras coisas... Só gasto energia com o que vale a pena!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Lionel, eu te amo!

Gente,

Algumas músicas eu simplesmente não consigo cantar. Eu tenho de gritá-las (ou pelo menos tenho muita vontade de fazer isso!). São canções que mexem com meu coração, minha alma, reviram as emoções lá dentro... E um dos artistas que mais têm o poder de fazer isso comigo é Lionel Richie, a que, para meu automartírio, não consegui assistir ao vivo no último fim de semana.


Sim, Lionel (íntima, eu...!! hahaha), um dos meus ídolos da adolescência e da juventude, fez show em São Paulo e no Rio. Dos shows internacionais no Brasil neste ano, era o que eu mais queria ir. Muito. Muito, muito, muito. Mas morar fora dessas cidades dificulta muito as coisas. É passagem de avião ou de ônibus, hospedagem, fora o valor do ingresso... Enfim, até agora não consigo acreditar que não estava lá... (snif)

Assim, só me resta matar a vontade (e a raiva de não ter ido) com o YouTube... E esperar que Lionel cumpra a promessa de vir ao Brasil sempre daqui em diante!

Bjs, bjs

Lu

PS.: Em entrevista com Amaury Jr. ele foi fofoooooo... E falou de Michael Jackson, dizendo que era um amigo muito especial. Disse que, quando se conheceram, MJ tinha 7 anos e já era obrigado a andar com guarda-costas... Enfim, foi uma pessoa nunca viveu a vida e foi sufocada por ser grande demais. Eu também acho.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A gente se esquece


Eu detesto me meter na vida dos outros. Sério. Sério mesmo! Mas hoje tive muita vontade. Ao lado da minha mesa, na praça de alimentação do shopping, uma mãe impedia o filho, de uns 6 anos, de brincar com o brinquedinho que vem no Mc Lanche Feliz. Ele queria abrir o saquinho de plástico, e a mãe dizia: "Só quando chegar em casa. Coma o lanche. Brincar, só depois, em casa". E o garotinho com aquela embalagem na mão, namorando aquilo, dedinhos tremulando... Afinal, ele não havia escolhido aquele tipo de lanche à toa...


Meu Deus do céu!! Caramba!!! Essa mulher nunca foi criança não? Esqueceu como é delicioso ter um brinquedo novo, ainda que seja de plástico e pequeno, e não um presentão de Natal? Custava deixar? Iria mudar o mundo daquele menino? Ele já estava num fast-food mesmo, preocupação com a saúde é que não era...


Sinceramente, não tenho filho e acho que não vou ter, mas pensei que talvez por isso não nasci pra ser mãe. Eu mesma brincaria com ele naquele momento, entre uma batata e outra. Enfim, meu lanche desceu empurrado, depois de ver de perto aquilo.


Será que a gente esquece que já foi criança? Será que o pai/a mãe esquece que já foi filho? Será que o chefe esquece que já foi subordinado? Será que o político esquece que já foi apenas eleitor? Será que a gente esquece de se colocar no lugar do outro? Reflitamos...

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Janela da alma

(Quero sempre pensar assim)

"Quando abro, a cada manhã, a janela do meu quarto é como se abrisse o mesmo livro numa página nova..."

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Água com açúcar... e pipoca!



Nada me lembra mais minha adolescência (e me deixa com MUITA saudade) que os filmes que eu via na Sessão da Tarde. Todos muito levinhos, a maioria dos anos 80... Comédias e romances maravilhosos. E boa parte deles tem a assinatura de John Hughes, que partiu prematuramente no ano passado.

São dele sucessos como "Garota de Rosa-Shocking", "Curtindo a vida adoidado"*, "Ela vai ter um bebê", "Clube dos Cinco", "Quem vê cara não vê coração", "A malandrinha"*, "Alguém muito especial" e tantos outros (veja mais aqui)...

Mas aquele de que mais gosto é "Gatinhas e Gatões"*, o da foto acima! Adoro as pitadas de humor, a realidade adolescente (norte-americana, no caso... rs) e o romance, claro! Samantha (Molly Ringwald, a ruivinha) completa 16 anos, mas nesse dia tão importante pra ela (nos Estados Unidos, o debut é nessa idade, não aos 15) ninguém se lembra. E, pra piorar, ela gosta de Jake (Michael Schoeffling, foto abaixo), o cara mais lindo da escola... Enfim, muiiiitas confusões depois... Não conto o final, mas é bem lindinho esse filme! rs



E você? Prefere filmes mais densos ou é como eu (hahahaha)? Porque, pra mim, gente, cinema é sinônimo de distração e alegria.

Bjs, bjs


Lu

PS1.: Ah! Quer saber como alguns dos atores que estrelaram filmes de John Hughes estão hoje? Veja aqui.

PS2.: * Tenho esses em DVD na minha videoteca, que tem como especialidade os anos 80

domingo, 29 de agosto de 2010

O que realmente tem valor


Imagine que você tenha uma conta corrente e a cada manhã você acorde com um salário de R$ 86.400,00, só que não é permitido transferir o saldo do dia para o dia seguinte. Todas as noites o seu saldo é zerado, mesmo que você não tenha conseguido gastá-lo durante o dia. O que você faz? Você vai gastar cada centavo...

Todos nós somos clientes desse banco que se chama tempo! Todas as manhãs, são creditados para cada um 86.400 segundos. Todas as noites, o saldo é debitado, com perda. Não é permitido acumular esse saldo para o dia seguinte. Todas as manhãs, a sua conta corrente é reiniciada, e todas as noites as sobras do dia se evaporam. Não há volta. Você precisa gastar vivendo no prensente o seu depósito diário. Invista, então, no que for melhor: na saúde, na felicidade e na paz!
Para você perceber o valor de UM ANO, pergunte a um estudante que repetiu de ano. Para você perceber o valor de UM MÊS, pergunte para uma mãe que teve bebê prematuramente. Para você perceber o valor de UMA HORA, pergunte aos amantes que estão esperando para se encontrar. Para você perceber o valor de UM MINUTO, pergunte a uma pessoa que perdeu o trem. Para você perceber o valor de UM SEGUNDO, pergunte a uma pessoa que conseguiu evitar um acidente. Para você perceber o valor de UM MILÉSIMO DE SEGUNDO, pergunte a alguém que consquistou a medalha de prata em uma olimpíada.

Valorize cada momento que você tem. O passado é história. O futuro é mistério. O agora é uma dádiva, por isso se chama... presente.
PS.: Esse texto fecha o espetáculo de Nelson Freitas (ator do Zorra Total). Aliás, ele é um espetáculo mesmooooo... rs

sábado, 28 de agosto de 2010

Brasileira até demais


Por que, raios, eu deixo tudo pra última hora? Até quando?
Isso já foi engraçado, já foi algo que irrita... agora me deixa i-ra-da (comigo mesma...)!
O remédio? Mudar! Mudar, não. Mudei.
Meu amanhã, agora, é hoje.


quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Transitoriedade da vida


Parece óbvio, mas a vida é curta. Passa rápido. Ontem eu tinha 20 anos. Hoje, tenho 32. E foi praticamente assim: eu acordei, e 12 anos se passaram, sem que eu percebesse. Sempre me diziam que depois dos 15 o tempo voa. Essa é a mais pura verdade.

A minha vida anda, digamos, meio sem sentido. Horrível dizer isso, mas não tenho medo do que digo, porque a verdade é muito cara pra mim. Prefiro-a sobre tudo, mesmo que isso traga dor. Meu futuro é uma tela de um branco tão alvo que dói a vista. Não sei o dia de amanhã (não que alguém o saiba de fato, mas quando se está solteira aos 32 tudo fica ainda mais incerto).

Diante do que vivo e do que vivi, não raramente reflito sobre se o que fiz valeu a pena, se foi tudo em vão, se fiz tudo errado. Não adianta muito. Arrependimento e culpa são palavras que tirei do meu vocabulário, porque nada corrói mais nossa alma. Vivi, fiz, tentei. Se foi o melhor ou não, já foi e não volta. Bola pra frente.

Mas a perda de alguém querido sempre traz ou reforça as reflexões. Hoje, às 7h, fui acordada por uma notícia esperada, mas nem por isso menos triste. Morreu uma amiga, que sobretudo era uma grande amiga da minha mãe. Tinha 84 anos, mas a vontade de viver maior que a minha. Fazia bolos e outros quitutes e dividia-os conosco, naquele tipo de amizade entre vizinhos que já não se encontra mais. Trazia numa bandeja xícaras e um café recém-passado. Fazia arranjos florais para enfeitar nossa casa. E imposição das mãos quando estávamos doentes. Com ela, passamos aniversários e anos-novos. Teve três filhos, perdeu dois para uma mesma doença, igual à que lhe tirou a vida. Foi uma lutadora, uma mulher doce e linda nos seus 84 anos. A vida já teria valido por conhecê-la.

E eu? O que tenho feito da minha? Que lembranças vou deixar? A quem vou deixá-las? Essas são respostas que ainda não tenho. Mas que espero construir de hoje em diante.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Tiro pela culatra


Meu ex falava que eu só teria um cachorro depois que tivéssemos um filho. Achava que isso me levaria a adiantar os planos (que não dependiam só de mim, diga-se de passagem) de ter um bebê. Sempre que via um cachorrinho na rua ou na TV ou onde quer que fosse, eu falava que queria ter um e tal. E o ex chegou a dizer, certa vez, que se irritava com meus comentários sobre os cãezinhos... Como se ter um pet fosse uma atitude a substituir ter filhos... Nunca entendi a ligação que ele fazia.


Hoje, com Mel (cadelinha prestes a completar 8 meses) em casa, sinto que o que o ex fez foi justamente um tiro no pé. Com ela, sinto como é delicioso ter alguém inocente pra cuidar, com quem se preocupar. E olha: não quero comparar animais a bebês, não! Mas tenho certeza de que, se nós dois, juntos, tivéssemos tido um bichinho isso teria até ajudado na relação (e não o contrário, como ele imaginava)...


terça-feira, 24 de agosto de 2010

Uma loja leva a outra

Olás!!!

A internet é algo, né, gente? Num segundo estamos visitando um site, que nos leva a outro, e a outro e a outro... E assim a gente vai conhecendo gente, fazendo amigos que nunca vimos, comprando coisas de lojas que não têm sequer um endereço "físico". Eu estou aderindo (com uns 10 anos de atraso... hahahaha) às compras pela net. E até agora fiquei beeemm satisfeita.

Mas na imensa maioria das minhas "andanças" pelo grande shopping virtual que é a internet, dou apenas um presente para os meus olhos ao ver tantas coisas bonitas. Ah! Rende também boas ideias... Eu gosto muitos desses aqui, ó:

1) Casa da Claudia: tem fofurices pra casa. Comprei e amei! Aqui: http://casadaclaudia.weebly.com/

2) Gamela Presentes: com muitas fofurices também. Também amei! Aqui: http://www.gamelapresentes.com.br/

3) Mercado Livre (em geral): entregas feitas no prazo, pagamento tranquilo... O endereço, você sabe...

4) Rosamundo: coisas lindaaas! Visito sempre, mas nunca comprei nada lá. Aqui: http://www.rosamundo.com.br/

5) Fun Ideas: Com direito a algumas curiosidades!! idem acima... Aqui: http://funideas.tanlup.com/

6) Elo 7: é realmente um shopping. Tem bijus, coisas pra casa, roupas... Fico horas por lá, mas ainda não comprei. Fica aqui: http://www.elo7.com.br/

7) Design Maniaa: apesar das visitas, não comprei ainda. Itens divertidos também! Aqui: http://www.designnmaniaa.com.br/

8) Casa Montada Loja: a mais nova da rede... Aqui: http://casamontadaloja.blogspot.com/

9) Varanda: só fiquei na visita por enquanto. Aqui: http://www.lojavaranda.com.br/

10) Tem outros milhares... Vou colocando aos poucos pra lista não ficar imensa demais...

E você, por onde "anda"?? Deixe sua dica...

Bjs, bjs

Lu

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Agulha no palheiro

Sou uma pessoa independente, mas acho que isso faz pouca diferença quando o assunto é o coração. O coração é dependente. Por mais que goste de si própria (ainda estou aprendendo isso...), o que a gente quer mesmo é que alguém goste de nós (não tô falando de amor de amigo, de família, só pra deixar bem claro!).

E não basta ser qualquer um: é preciso que esse alguém seja especial. Mas parece que depois dos 30 encontrar um homem sério e descompromissado é algo assim tão impossível quanto achar um... homem em qualquer idade que não queira apenas você sabe o quê!

Enfim, hoje eu me vejo com a necessidade de aprender a lidar, dia após dia, com o fato de que talvez não seja amada de novo e do jeito que mereço. Estar com alguém com quem eu divida uma conquista, uma mensagem linda, um lugar inesquecível, uma sensação deliciosa, uma gargalhada longa... Alguém a quem eu dê minha mão ao sair às ruas e que me roube um beijo bem no meio do filme... Alguém que eu encontre ao voltar pra casa e que me dê colo depois de um dia de trabalho pesado...
É tudo o que eu quero. Eu, que sempre fui tão carinhosa, que pensava num amor pra vida inteira. A vida planejou diferente pra mim. E o meu coração, dependente da dependência do outro, ainda não entendeu que plano é esse...

domingo, 22 de agosto de 2010

Riqueza


Adoro a palavra riqueza. Pra mim, ela representa algo tão bom que costumo até chamar as pessoas de que gosto assim: de riqueza mesmo. E não pensem que quando penso nessa palavra a primeira coisa que me vem à cabeça é ouro, dinheiro, nada disso...

Há várias riquezas na vida da gente. E elas não têm preço, por mais paradoxal que isso possa parecer. A vida, por si só, é uma. Deveríamos ser gratos a cada segundo, apesar das dores, dos percalços, da dureza que às vezes ela é. Nós a temos. E lutamos. E isso é imenso.

A saúde é outra dádiva sem tamanho. Poder andar, ver, dançar, rir, ouvir, levantar da cama... Tenho uma grande amiga (da minha mãe, principalmente) que está bem doente. Tudo de que ela precisa, agora, é de saúde. Dinheiro algum pode mudar a situação dela.

Aliás, sempre falo pra minha mãe que problema que se resolve com dinheiro não é problema. Imagine ter uma doença incurável: quantia nenhuma muda o cenário. Imagine perder alguém: fortuna nenhuma traz a pessoa de volta...

A liberdade é outro bem imensurável. Ir e vir de onde se quer. Fazer o que quer. Que dinheiro paga isso?

Outras riquezas são as lições que a gente aprende em casa, o cárater, o fé, o amor, a natureza, a nossa casa, os amigos, a família, o trabalho que nos realiza, as pessoas que a gente ama... Enfim, a lista é enorme.
E, pra você, qual é a maior riqueza que se pode ter?

Um beijo,

Lu

Aqui uma música rica, e que traz riqueza na letra.

sábado, 21 de agosto de 2010

Dia ótimo


Dia redondinho, redondinho...
Com direito a um trabalho bem desenvolvido, gente simpática, teatro, louvor a Deus, gente gentil, oração, dança, gente talentosa, lanchinho, gente bonita... Obrigada, Pai!
E vocês, como foram? Espero que tenha sido um sábado "skolástico" pra você também!
Bjs, bjs
Lu

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

A cura


Alguém sabe algum remédio pra esquecimento? E pra tomar iniciativa pras coisas urgentes? E pra ter esperança?

Três doses triplas, por favor. Sim, porque eu sei que eu tenho jeito... Aliás, tô com uma vontade de ser feliz danada, sabe? (humm... assunto pra um próximo post)

Ah! Enfim, isso tudo me faz lembrar a música de que gosto muito (e ouço muito pouco): "A cura", de Lulu Santos (som na caixa, DJ!)...

Existirá
Em todo porto tremulará
A velha bandeira da vida
Acenderá
Todo farol iluminará
Uma ponta de esperança

E se virá
Será quando menos se esperar
Da onde ninguém imagina
Demolirá
Toda certeza vã
Não sobrará
Pedra sobre pedra

Enquanto isso
Não nos custa insistir
Na questão do desejo
Não deixar se extinguir
Desafiando de vez a noção
Na qual se crê
Que o inferno é aqui

Existirá
E toda raça então experimentará
Para todo mal
A cura

Existirá
Em todo porto se estiará
A velha bandeira da vida
Acenderá
Todo farol iluminará
Uma ponta de esperança

E se virá
Será quando menos se esperar
Da onde ninguém imagina
Demolirá
Toda certeza vã
Não sobrará
Pedra sobre pedra

Enquanto isso
Não nos custa insistir
Na questão do desejo
Não deixar se extinguir
Desafiando de vez a noção
Na qual se crê
Que o inferno é aqui

Existirá
E toda raça então experimentará
Para todo mal
A cura

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Coração apertadinho


Mil coisas ao mesmo tempo agora. Coração apertadinho apertadinho. Fazia tempos que não o sentia assim. Que seja breve.

E, pra encerrar a sessão-lamentação, um poema do mestre...

DOS NOSSOS MALES

"A nós bastem nossos próprios ais, que a ninguém sua cruz é pequenina. Por pior que seja a situação da China, os nossos calos doem muito mais..."


Mario Quintana


quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Filhos de peixe


Minha fase Tom Jobim voltou com tudo. Não que tenha deixado de gostar dele por um só segundo (não, isso é realmente impossível!). Mas é que tem horas (ou dias, ou meses) que só quero ouvir uma coisa. Agora, a bola da vez voltou a ser o sr. Antônio Carlos Brasileiro Jobim...

Nesta gravação aqui, quem canta são os filhos dele, Daniel e Luísa. Tudo de lindo!

Curtam também...

Bjs

Lu

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Pessoas cachorras X Gente pra cachorro


Quanto mais eu conheço os homens (e as mulheres), mais eu amo os cachorros...
Apesar de que há muita gente boa no mundo, e eu também tenho tido a graça de conhecer algumas delas.
O problema é conseguir separar os bons dos ruins...

Duas lições de Cecília




1) "Aprendi com as primaveras a me deixar cortar para poder voltar sempre inteira."

2) "Renova-te.
Renasce em ti mesmo.
Multiplica os teus olhos, para verem mais.
Multiplica-se os teus braços para semeares tudo.
Destrói os olhos que tiverem visto.
Cria outros, para as visões novas.
Destrói os braços que tiverem semeado,
Para se esquecerem de colher.
Sê sempre o mesmo.
Sempre outro. Mas sempre alto.
Sempre longe.
E dentro de tudo."

Cecília Meireles